Pagamento da quota de 2017

Informa-se que a quota relativa ao ano de 2017, no valor de 12€, está já a pagamento (para novos sócios acresce 10€ de inscrição), pode-se proceder ao mesmo por transferência bancária, para o IBAN PT50 0033 0000 45506158924 05 (Millenium BCP).

Solicta-se o envio do comprovativo para atap.geral@gmail.com com a indicação do nome e, se possível, do número de sócio.

Informa-se ainda que, para ter a sua situação regularizada apenas terão de liquidar a quota de 2017, não havendo lugar ao pagamento de quotas atrasadas.

Associação de Treinadores de Andebol de Portugal (ATAP) está neste Ciclo Olímpico 2016-2020 rejuvenescida e com intenção de se estruturar e apoiar os treinadores no sentido do desenvolvimento do andebol em Portugal.

Tem como objetivo agrupar o máximo possível de técnicos de andebol, promover iniciativas no sentido da sua valorização e consequente fomento da modalidade.

PLANO DE INTENÇÕES

2016-2020

Reabilitar a Associação de Técnicos de Andebol de Portugal (ATAP) no sentido de a tornar dinâmica, autónoma e uma instituição em defesa dos interesses do andebol em geral e dos treinadores em particular.

  • Lançamento e dinamização do site da ATAP
  • Disponibilização de informação e promoção da ATAP através das redes sociais
  • Organização dos processos de sócios e promoção da angariação de novos associados
  • Procurar autonomia financeira, junto de parceiros institucionais e particulares
  • Lançar uma revista digital técnica-científica bi-anual
  • Organizar Seminário anual para treinadores em paralelo com grande competição nacional
  • Criar bolsa e contactos para estágios de treinadores portugueses em clubes de referência europeia e mundial
  • Lançamento de newsletter mensal
  • Criar bolsas para técnicos jovens em Seminários no estrangeiro
  • Dinamizar debates técnicos em paralelo com competições de escalões de formação em regime de concentração (Ex. Encontros Nacionais)
  • Representar os treinadores nas Assembleias Gerais da Federação de Andebol de Portugal
  • Promover nas instituições do Andebol a tomada de decisão cada vez mais em função dos aspetos desportivos, em detrimento das decisões político/administrativas
  • Participar de forma ativa nos processos de formação de treinadores
  • Facultar o acesso a apoio jurídico aos treinadores

Fomentar o corporativismo entre os treinadores em Portugal - adversários em campo, colaborantes fora dele, na procura de melhorar o andebol nacional


 

SIGA-NOS NO FACEBOOK